[EN / PT] Estrangeiros estão cada vez mais interessados em aprender português

[Português]


Paris sedia entre os dias 5 e 7 de fevereiro a 33ª edição do Expolangues, um salão dedicado ao aprendizado de idiomas e ao diálogo intercultural. A Rádio França Internacional, parceira do evento, transferiu parte de seus estúdios excepcionalmente para o parque de exposições da Porta de Versalhes, onde acontece o salão, e convidou três expositores para falar sobre a língua portuguesa. Professores, donos de escolas ou responsáveis do setor associativo, eles confirmam o interesse cada vez maior dos estrangeiros pelo idioma e, principalmente, pelo Brasil. 

A língua portuguesa, que é falada por mais de 200 milhões de pessoas no mundo, sempre esteve presente no Expolangues, que tem como missão incentivar o público a descobrir culturas e países por meio do patrimônio linguístico. Afinal, muita gente está interessada em aprender o idioma, seja para estudar, para conhecer a cultura dos diferentes países que falam a língua ou para fazer negócios.
Foi pensando nesse público que a francesa Elodie Pigeon abriu a Idiomas Rio, uma escola de línguas em Copacabana, visando os estrangeiros que precisam do português. “A maioria dos nossos alunos são pessoas que gostam do Brasil, que querem morar no país ou que já trabalham por lá e precisam do português para sua integração profissional e pessoal”, explica.
Segundo ela, eventos recentes, como a Copa do Mundo de 2014, os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016 ou a chegada de investidores estrangeiros no país nos últimos anos tiveram uma repercussão direta em suas atividades. “Vimos esse impacto com a comunidade francesa, pois em 2013 cerca de 20 mil franceses estavam registrados no Brasil, um número que cresceu 25% em sete anos, e 350 filiais de empresas francesas estão no país, e essas pessoas precisam do português”, disse.
Cursos de português em Paris
Além dos estrangeiros que vivem no Brasil, muita gente se interessa pelo português no exterior. Além dos programas universitários, escolas de idiomas e associações propõe várias atividades visando esse público. É o caso do Instituto Alter Brasilis, que propõe aulas de português e diversas atividades culturais para aqueles que se interessam pelo Brasil.
Beata Sitarek, que faz parte da associação, explica que o seu público vai desde filhos de brasileiros, portugueses e casais franco-brasileiros, que assistem aulas para “guardar a herança linguística e perpetuar a cultura brasileira em Paris”, até estudantes que estão se preparando para ir ao Brasil fazer estágio e representantes comerciais ou funcionários de multinacionais que precisam do português para trabalhar. “Mas tem também muitos que querem aprender o idioma porque gostam do Brasil, da cultura e da língua”, conta.
A professora Rita Carvalho, que dá aulas na Alter Brasilis, lembra que para os franceses, que já falam uma língua de origem latina, o processo de aprendizado é mais simples, mas apenas no início. “Até um nível intermediário, o francês ajuda bastante, pois temos muitas estruturas parecidas, mas a partir de um nível mais avançado temos que nos concentrar em alguns pontos linguísticos que existem apenas em português”, explica.
Franceses cantam músicas brasileiras em coral francês
Além das aulas de francês, a associação Alter Brasilis também organiza atividades culturais, que vão desde ateliês de culinária para crianças e cine-clube até um coral. Esse último projeto, realizado a partir de um edital e com o apoio da Embaixada do Brasil em Paris, atraiu muita gente.
“Brasileiros, franceses e até pessoas que nunca tinham falado português, mas que gostavam de música, passaram no teste para fazer parte do coral”, lembra Beata Sitarek. “No começo não foi fácil, pois nem todos sabiam falar, mas no final deu muito certo”, conclui. 
[English]      

Paris hosts between 5 and 7 February the 33rd edition of Expolangues, a show dedicated to language learning and intercultural dialogue. Radio France International, partner of the event, transferred part of its studios exceptionally for the exhibition park of Porte de Versailles, where happens the hall, and invited three speakers to talk about the Portuguese language. Teachers, owners of schools or guardians of the associative sector, they confirm the growing interest of foreigners for language, especially in Brazil.

The Portuguese language, which is spoken by over 200 million people worldwide, has always been present in Expolangues, whose mission is to encourage the public to discover cultures and countries through linguistic heritage. After all, many people are interested in learning the language, either to study, to know the culture of different countries that speak the language or to do business.

I was thinking about this audience that the French Elodie Pigeon opened the Language River, a language school in Copacabana, aimed at foreigners who need the Portuguese. "Most of our students are people who like Brazil, who want to live in the country or who already work there and need the Portuguese for their professional and personal integration," he explains.

According to her, recent events such as the World Cup 2014, the Olympic Games in Rio de Janeiro in 2016 and the arrival of foreign investors in the country in recent years have had a direct impact on their activities. "We have seen the impact with the French community, as in 2013 about 20,000 French were registered in Brazil, a number that grew by 25% in seven years, and 350 subsidiaries of French companies are in the country, and these people need the Portuguese" said.

Portuguese courses in Paris

In addition to the foreigners living in Brazil, a lot of people interested in the Portuguese abroad. In addition to university programs, language schools and associations propose various activities to the public. This is the case of the Alter Brasilis Institute, which offers Portuguese classes and cultural activities for those who are interested in Brazil.

Beata Sitarek, which is part of the association, explains that his audience ranges from children Brazilians, Portuguese and French-Brazilian couples who attend classes to "save the linguistic heritage and perpetuate the Brazilian culture in Paris," to students who are preparing to go to Brazil to stage and sales representatives or employees of multinational companies who need the Portuguese to work. "But there are also many who want to learn the language because they like Brazil, culture and language," he says.

Professor Rita Carvalho, who teaches at Alter Brasilis, remember that for the French, who already speak a language of Latin origin, the learning process is simpler, but only at first. "Up to an intermediate level French helps a lot, because we have many similar structures, but from a more advanced level we have to focus on some linguistic points that exist only in Portuguese," he explains.

French singing Brazilian songs in French coral

In addition to the French classes, the association Alter Brasilis also organizes cultural activities, ranging from cooking workshops for children and cine-club to a choir. The latter project, carried out from a public notice and with the support of the Embassy of Brazil in Paris, attracted many people.

"Brazilians, French and even people who had never spoken Portuguese, but who liked music, passed the test to join the choir," Beata recalls Sitarek. "At first it was not easy, as not everyone could speak, but in the end went very well," he concludes.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial